terça-feira, 24 de agosto de 2010

Farofa (eu acho que pode ser esse o título!)

A vizinhança dos meus avós,
E de mais gente,
É maluca que só.
Mas tem uma vizinha
Que é mais especial.
Felpuda e malhada,
Originada no mundo animal.
Há pouco corria na rua,
Livre e desimpedida,
A Nicolau é sua,
Ponto de chegada e partida.
Não sei bem de quem ela é,
Sei que tem dono,
Porque tem nome e coleira,
Seu nome é Farofa,
Farofa da Silva Siqueira!
Ela é amiga do gato Zé,
Que como o nome,
É astuto e deu no pé.
Devo no poema citar,
A Ida Maria,
Que os trata,
E dá amor de cortesia.
Outro morador não vi,
Só sei que mora aqui,
Por cumprimento trivial.
Mas não garanto procedência,
E nem valor igual.




Esse poema é da Amanda, ela fez pra minha amiga canina Farofa!

A história é assim, os avós dela moram aqui perto de casa, e um dia ela veio visitá-los e a esperta Farofa havia fugido. Não sei como as duas se encontraram na rua, rolou uma química e até poema. Vamos ver onde isso vai dar então!
Ela fala mal de mim, mas dessa vez eu vou perdoar.

2 comentários:

  1. hmmmmmm(6) é o amoooooooooooooor, que mexe com a minha cabeça e me deixa assiiiim...

    ResponderExcluir